Ícone do LinkedIn Ícone do RSS Ícone do Lnk.Bio

25 Mar 2024 | 11 minutos • Insights

Experimentações nos projetos

Compartilhando os meus erros e acertos

Ingrid Machado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software. Autora deste querido blog.

Image de capa do post Experimentações nos projetos
Foto de Pavlos Vaenas, via Unsplash

No momento, eu tenho 3 projetos rodando: o blog, a newsletter e o clube do livro. E se tem algo que é comum a todos eles, é que eu não esperei encontrar o formato perfeito para o lançamento e que nenhum se manteve do mesmo jeito desde quando foi lançado.

Essas experiências me trouxeram aprendizados importantes. Pensando sobre isso, decidi escrever esse post para mostrar as mudanças que aconteceram e compartilhar exemplos de que o feito é melhor do que o perfeito.

Evolução do blog

Esse blog teve o seu primeiro post publicado em agosto de 2019. Então é natural que depois de mais de 4 anos de existência ele tenha evoluído em alguns aspectos. O mais notável é o layout, que já está na sua terceira versão.

Primeiro layout, com tons de lilás

Primeiro layout, com tons de lilás

Segundo layout, com um tom mais sóbrio em preto e branco

Segundo layout, com um tom mais sóbrio em preto e branco

Layout atual, ainda em preto e branco mas mais limpo e focado na leitura dos textos

Layout atual, ainda em preto e branco mas mais limpo e focado na leitura dos textos

O layout atual foi desenvolvido por uma designer e implementado por um desenvolvedor, o que torna ele exclusivo. É um layout mais simples, pensado para ser um formato de revista e focado no conforto da leitura dos posts. Mantive em preto e branco porque não me acho tão boa para selecionar imagens coloridas.

Aqui foi importante iniciar com layouts gratuitos, principalmente para entender o quanto eu iria me dedicar ao projeto antes de fazer investimentos financeiros. Às vezes, queremos muito fazer alguma coisa legal para compartilhar, mas não temos nem mesmo o tempo. Por isso, investir dinheiro desde o início não me parecia a melhor abordagem, já que eu seguiria com o blog por uma obrigação para não perder o meu investimento. Da forma que fiz, sinto que fez muito sentido investir quando já estava com uma rotina estabelecida de escrita.

Outro ponto que evoluiu foi a forma como divulgo o blog. Inicialmente, fazia publicações no LinkedIn com o link do post junto do texto. Depois de perceber que o alcance não estava tão bom, descobri que o LinkedIn não é tão amigável com quem tenta fazer os usuários acessarem links externos. Por isso, fiz um layout simples no Canva para incluir a imagem de capa do post com o nome e o endereço do blog na publicação. Nesse formato o link do post ficava nos comentários.

Primeiro formato de publicação, com pouco alcance

Primeiro formato de publicação, com pouco alcance

Segundo formato de publicação, com maior alcance e layout feito por mim

Segundo formato de publicação, com maior alcance e layout feito por mim

Até que um dia vi um tweet em que o post estava com uma thumb que já incluía as informações sobre o post. O autor compartilhou um tutorial para quem quisesse fazer igual e o William fez a implementação. No formato atual, a thumb do post é uma imagem gerada via plugin do Jekyll, que eu posso baixar e usar nas publicações do LinkedIn.

Terceiro formato de publicação, ainda mantendo o link nos comentários, mas com um layout mais limpo

Terceiro formato de publicação, ainda mantendo o link nos comentários, mas com um layout mais limpo

Só nesse primeiro projeto já é possível perceber o quanto eu mudo de rota e vou atualizando as coisas aos poucos. Não acho que vou estar sempre mudando o layout de tudo, mas entendo que a evolução é uma forma de mostrar que o blog segue sendo um projeto ativo.

Evolução da newsletter

No dia 12 de agosto de 2020 eu enviei a primeira edição da newsletter. Ela não tinha nome e era toda em preto e branco também. O cabeçalho tinha o meu nome e as divisórias das seções eram retângulos pretos com o texto em branco. Tudo bem simples. O restante era apenas texto.

A primeira versão foi criada no Mailchimp, uma ferramenta focada em email marketing que quebrava o galho. Depois de alguns envios, percebi o quanto estava subutilizando aquela ferramenta, cheia de funcionalidades que não eram para mim. E esse foi o primeiro sinal de que eu deveria partir para uma ferramenta nova.

O email é um canal que permite que a gente mude de plataforma sem incomodar o usuário. Basta exportar e importar a lista de emails e está tudo resolvido. Por isso, não fiquei tão receosa quando decidi mudar para o Substack.

Migrando para o Substack passei pelo desafio de escolher qual seria o nome da newsletter. Já basta eu não ter escolhido um nome para o meu blog. Depois de várias ideias e debates em casa, surgiu o nome Trilha de Valor. Hoje em dia acho ele meio óbvio, mas foi um sofrimento escolher qual seria. E digo que é óbvio porque tenho como propósito compartilhar conteúdos que tragam valor para quem lê. Se a pessoa me seguir e sentir esse valor, então ela vai estar percorrendo uma trilha de valor. Faz sentido?

A primeira versão era bem simples

A primeira versão era bem simples

A segunda versão também iniciou de forma bem simples no Substack. O logo era um ícone do PowerPoint que eu apenas troquei a cor e o peso da linha do desenho. Para essa troca, eu pensei muito no quanto a ferramenta nova me permitiria focar no texto, que era o que eu queria desde o início. O Substack lança muitas funcionalidades também, mas a diferença é que, até o momento, são funcionalidades que vão apoiar quem escreve a focar em escrever.

A segunda versão com o logo adaptado por mim

A segunda versão com o logo adaptado por mim

A segunda versão tinha seções bem parecidas com as atuais

A segunda versão tinha seções bem parecidas com as atuais

Para a terceira versão, a mesma designer que fez o layout do blog desenvolveu o logo, definiu o esquema de cores e criou imagens para o cabeçalho, para a lista de seções e para a indicação de livros.

A terceira versão foi um grande salto na qualidade visual da newsletter

A terceira versão foi um grande salto na qualidade visual da newsletter

Na terceira versão, as seções possuem ícones para uma melhor identificação

Na terceira versão, as seções possuem ícones para uma melhor identificação

Depois dessas mudanças, ainda existe uma quarta versão, em que eu não uso mais a imagem com a lista de seções e parei de selecionar imagens de capa para as edições. Por isso, aproveitei o design feito e criei imagens de capa com o tema da newsletter. Assim, eu preciso apenas editar o número e o nome da edição e essa parte se tornou bem menos trabalhosa.

A quarta versão, além de mais bonita, é menos trabalhosa para produzir

A quarta versão, além de mais bonita, é menos trabalhosa para produzir

Depois de fazer todas essas mudanças, ainda decidi que deixaria o layout da tela inicial um pouco mais limpo. O Substack tem um editor de layout que oferece várias opções de módulos para personalizar a tela inicial de maneira bem fácil.

Na minha opinião, a quinta versão é a mais bonita de todas

Na minha opinião, a quinta versão é a mais bonita de todas

Outra mudança na newsletter aconteceu nos bastidores. Na primeira versão, eu usava o Notion como ferramenta para gerenciar a minha produção de conteúdo. Mas agora estou com tudo organizado dentro do Coda. Por estar usando o Coda diariamente no trabalho e ter participado de dois treinamentos que me mostraram como usar a ferramenta de forma mais profissional, decidi que ia aplicar tudo o que aprendi no blog e na newsletter. Inclusive, o gerenciador de conteúdo que eu uso foi o meu projeto final do Coda Doctorate.

Gestão do blog e da newsletter no Notion

Gestão do blog e da newsletter no Notion

Gestão do blog e da newsletter no Coda

Gestão do blog e da newsletter no Coda

Muitas das mudanças implementadas na newsletter foram inspiradas em outros projetos que sigo. Um exemplo bem direto é a capa dos posts. Um dia, percebi que a newsletter do Lenny Rachitsky usava layouts fixos para determinados temas. Nesse momento, percebi que estava tendo muito trabalho para selecionar imagens de capa e poderia seguir com algo mais padronizado.

Evolução do clube do livro

O Clube do Livro para Introvertidos iniciou a sua primeira leitura no dia 23 de maio de 2023. A primeira versão do clube foi criada no Apoia.se. O layout das publicações foi feito por mim no Canva e era bem simples. Mas, durante o andamento do projeto, notei que o Apoia.se não era o melhor lugar para compartilhar textos. Compartilhei aqui porque senti isso e os motivos dessa mudança com mais detalhes.

Primeira versão no Apoia.se

Primeira versão no Apoia.se

Exemplo de publicação da primeira versão

Exemplo de publicação da primeira versão

A segunda versão seguiu com o mesmo layout, mas eu migrei o projeto para o Substack. Ele é agora uma seção dentro da Trilha de Valor. Transferi todas as publicações para a plataforma nova e deixei o layout antigo para manter o histórico.

Clube migrado para o Substack, mantendo o mesmo layout

Clube migrado para o Substack, mantendo o mesmo layout

Outro ponto que agora me parece meio óbvio na mudança para a terceira versão é que aqui eu também poderia aproveitar o trabalho feito pela designer para a Trilha de Valor. Por isso, inverti as cores do layout e agora a seção do clube do livro está muito mais harmônica na página inicial da newsletter.

Página inicial do clube do livro na sua terceira versão

Página inicial do clube do livro na sua terceira versão

Também aproveitei para atualizar o layout do material complementar e manter uma harmonia entre todos os materiais do projeto.

Material complementar com o primeiro layout

Material complementar com o primeiro layout

Material complementar com o layout novo

Material complementar com o layout novo

O que aprendi com essas experimentações

Primeiro aprendi que eu não deveria fazer nenhum layout para os meus projetos. Eu não sei porque mas eu realmente tenho uma dificuldade para deixar as coisas harmoniosas.

Por outro lado, eu sou meio perfeccionista. Então, mesmo não sabendo fazer, eu julgo muito. E acabo sofrendo um pouco a cada vez que tenho que mudar algo que já está lançado. Mas se eu vejo algo que não está legal, também consigo entender que não posso manter assim e mudar é a melhor solução. Meio ambíguo, mas está funcionando.

Ver a evolução dos meus projetos me motiva a seguir escrevendo e pensando na melhor forma de publicar os conteúdos que eu crio. E eu não tenho nenhum arrependimento do que já foi feito. Até tem um certo incômodo quando eu revisito o que foi feito lá no início, mas eu sempre me lembro de que as coisas foram feitas da melhor forma que eu sabia fazer na época.

Um sinal muito positivo que eu tenho é que os acessos ao blog só crescem a cada ano e até hoje tenho inscritos na newsletter que eram lá do Mailchimp. Acredito que isso prova que as pessoas não são tão exigentes com os projetos do jeito que a gente costuma ser com o que é nosso.

Outro ponto que mudou bastante é que agora eu me sinto muito mais à vontade para falar sobre experiências pessoais, com os meus erros e acertos. Comparando o meu último post com o primeiro eu já vejo o quanto me abri mais.

Mas também acho que isso só foi possível porque decidi que não iria me dedicar a formar comunidades nas redes sociais como o Instagram, por exemplo. Se você leu mais de um post aqui no blog, deve ter reparado que tem pouquíssimos comentários. A maioria das pessoas fala comigo por email e até recebo alguns contatos via LinkedIn. Essas são plataformas que não fomentam uma comunicação mais violenta. Então não me arrependo dessa escolha, já que só tenho interações ótimas com as pessoas nesses espaços.


Eu espero que compartilhar a minha jornada ajude quem está em dúvida sobre lançar algo. Se você acredita no que faz, o meu conselho é que você faça. Não de qualquer jeito, mas dando o seu melhor no momento.

Não foque em números nem em exposição, defina um propósito e deixe que ele seja o resultado esperado. Mesmo quando eu estou falando sozinha aqui, sinto que estou fazendo o que eu quero e isso me faz bem.

O livro “Mostre seu trabalho” foi o que me ajudou a lançar o clube do livro sem receios e deixo aqui a indicação caso você esteja precisando de mais um empurrãozinho.

Até a próxima!

O link do post foi copiado com sucesso!

Mais conteúdos de Ingrid Machado

Imagem de capa do post Retrospectiva 2023

25 Dez 2023 • Insights

Retrospectiva 2023

Estou fazendo a retrospectiva de posts mais lidos do blog desde 2021. Essa é uma informação que me ajuda a entender quais são os assuntos mais interessantes do meu blog e fazer uma revisão do que p...

5 minutos

Imagem de capa do post 4 anos de blog

07 Ago 2023 • Insights

4 anos de blog

No dia 04 de agosto de 2019 fiz o primeiro post do blog. Inicialmente, sem imaginar que seria lida por muitas pessoas ou que me dedicaria tanto quanto agora a esse projeto. Mas 4 anos se passaram e...

1 minutos

Imagem de capa do post Vantagens de ter um blog

31 Jul 2023 • Insights

Vantagens de ter um blog

Nesses quase 4 anos escrevendo no blog, já consumi muito material sobre como deixar o blog mais interessante para a leitura e para o indexador do Google. Mas, uma boa parte desses materiais, falam ...

5 minutos

linkedin icon
LINKEDIN
Twitter icon
TWITTER
RSS icon
RSS
Lnk.Bio icon
LNK.BIO

Ingrid Machado © 2019 - 2024

• Ingrid Machado © 2019 - 2024

• Layout por Victoria Facundes • Desenvolvido por Cristhian Rodrigues

VOLTAR AO TOPO

voltar para o topo