Ícone do LinkedIn Ícone do RSS

10 Jul 2023 | 4 minutos • Newsletter

Liderança inclusiva

Promovendo um ambiente de trabalho mais diverso e igualitário

Ingrid Machado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software. Autora deste querido blog.

Image de capa do post Liderança inclusiva
Foto de Debby Hudson, via Unsplash

Este texto foi originalmente publicado na Trilha de Valor #38: Liderança inclusiva, que foi enviada no dia 22 de março de 2023. Para receber a newsletter na sua caixa de entrada, inscreva-se aqui.

Estou fazendo uma especialização em liderança e gestão estratégicas no Coursera e os cursos sempre têm leituras muito interessantes como parte do material. Uma delas, é um estudo da Deloitte que fala sobre os seis traços característicos de uma liderança inclusiva.

Por ser um assunto que considero extremamente importante e pela qualidade do material, decidi compartilhar aqui quais são essas seis características. O relatório completo explica cada uma delas, com os seus respectivos elementos e o que líderes inclusivos pensam e fazem a respeito de cada uma. Além disso, também é exposto o quanto considerar a diversidade no ambiente de trabalho é benéfico para os resultados.

Os seis traços são comprometimento, coragem, reconhecimento de vieses, curiosidade, inteligência cultural e colaboração.

Comprometimento

É muito difícil caracterizar um líder como inclusivo quando diversidade e inclusão não fazem parte dos seu valores. Por isso, o comprometimento com a causa é listado como o primeiro traço característico de uma liderança inclusiva.

Por mais que dados sejam divulgados e mostrem o quanto ambientes diversos possibilitam a inovação e a entrega de melhores resultados, acreditar que isso é verdade faz a diferença. Respeitar as diferenças, tratar todas as pessoas de forma justa e manter a diversidade e a inclusão como prioridades são características que reafirmam esse comprometimento.

Coragem

Ter coragem no ambiente corporativo é deixar os seus interesses pessoais de lado para alcançar objetivos maiores. Um líder corajoso é humilde o suficiente para saber quais são os seus pontos fortes e os seu pontos fracos, pede ajuda quando necessário e não esconde os seus erros. Mas também é bravo o suficiente para ser um agente de mudanças e apontar comportamentos não inclusivos no ambiente de trabalho.

Desafiar o modo como as coisas são feitas e se dispor a mudar um ambiente para ser mais acolhedor para a diversidade é um grande ato de coragem e inclusão.

Reconhecimento de vieses

Todos nós temos vieses. Por isso, para ser uma liderança inclusiva é preciso reconhecer os nossos próprios vieses, bem como os vieses da organização que fazemos parte.

Para ajudar a quebrar o padrão, estudar sobre os vieses existentes, identificar momentos em que os seus vieses afloram e se autorregular para diminuir essas ocorrências é uma forma de ser mais inclusivo. Pedir feedbacks e trabalhar para melhorar nas próximas situações é uma outra forma de identificar e reduzir os seus vieses.

Para criar um ambiente mais justo e livre de vieses, é possível pensar em três pontos principais:

  1. Reconhecimento: a remuneração, a avaliação de ciclo de performance e as oportunidades de desenvolvimento e promoção são alocadas de acordo com a capacidade e esforço de cada pessoa? Ou essas escolhas refletem os seus vieses e os da organização?
  2. Processo: os processos aplicados para distribuir esses reconhecimentos são transparentes, aplicados de forma consistente, baseados em informações precisas, livres de vieses e consideram os pontos de vista das pessoas afetadas pelas decisões?
  3. Comunicação: as razões pelas quais as decisões foram tomadas e os processos aplicados são explicadas para as pessoas afetadas? E as pessoas são tratadas de forma respeitosa durante esse processo?

Evoluir através do autoconhecimento e promover um ambiente de igualdade, vai permitir que esse traço de liderança inclusiva seja percebido.

Curiosidade

Líderes inclusivos têm uma mentalidade aberta, um desejo de entender a visão do outro e uma tolerância para ambiguidade. E, para atingir todos esses elementos, é preciso ter uma rotina de aprendizado contínuo, questionar as pessoas buscando entender genuinamente outros pontos de vista e saber lidar com as mudanças.

Inteligência cultural

Outro traço de liderança inclusiva é ser confiante e efetivo em interações interculturais. Ao trabalhar com pessoas de culturas diferentes, precisamos considerar como as nossas visões podem impactar nas expectativas que temos sobre os outros.

A inteligência cultural pode ser construída através da iniciativa para entender outras culturas, considerar as diferenças que podem existir em cada uma delas e se adaptar para conseguir trabalhar bem com pessoas de cultura diferentes.

Essa é uma característica que pode ser aperfeiçoada ao estudar e conversar com pessoas de origens diferentes da sua. Mas é muito importante vivenciar experiências em que as diferenças culturais fiquem mais nítidas. E, a partir dessas experiências, entender como você pode levar essas diferenças em consideração para ter um ambiente mais inclusivo.

Colaboração

Um time com inclusão tem a participação igualitária de todas as pessoas que o integram. Para tal, o líder deve empoderar as pessoas para que se sintam à vontade para contribuir, formar times diversos e criar um ambiente em que as pessoas se sintam seguras para falar.

Fomentar um ambiente de respeito e ser o guardião da inclusão vai permitir que o time tenha discussões construtivas, em que todos colaboram e atingem os melhores resultados.


Além dos benefícios para o negócio, ter uma liderança inclusiva é extremamente positivo no dia a dia de cada liderado. Esse pode parecer um tópico não tão importante quanto outros, pelo menos da forma que vejo sendo tratado em algumas empresas, mas o impacto é direto nos resultados que cada pessoa pode entregar.

Talvez, só seja possível reconhecer o impacto de uma liderança inclusiva quando nós mesmos fazemos parte do grupo mais diverso (quando comparado ao ambiente em que estamos). Mas acredito que esse é o futuro: ambientes profissionais que refletem cada vez mais as diferenças que temos como sociedade. E não existe motivo nenhum para não se atualizar e se importar a respeito desde agora.

Até a próxima!

O link do post foi copiado com sucesso!

Mais conteúdos de Ingrid Machado

Imagem de capa do post A regra dos 10 anos

19 Fev 2024 • Newsletter

A regra dos 10 anos

Este texto foi originalmente publicado na Trilha de Valor #61: A regra dos 10 anos, que foi enviada no dia 20 de setembro de 2023. Para receber a newsletter na sua caixa de entrada, inscreva-se ...

2 minutos

Imagem de capa do post Alinhamento versus autonomia

04 Dez 2023 • Newsletter

Alinhamento versus autonomia

Este texto foi originalmente publicado na Trilha de Valor #59: Alinhamento versus autonomia, que foi enviada no dia 23 de agosto de 2023. Para receber a newsletter na sua caixa de entrada, inscr...

3 minutos

Imagem de capa do post OKRs

06 Nov 2023 • Newsletter

OKRs

Este texto foi originalmente publicado na Trilha de Valor #54: OKRs, que foi enviada no dia 14 de junho de 2023. Para receber a newsletter na sua caixa de entrada, inscreva-se aqui. Os OKRs sã...

4 minutos

linkedin icon
LINKEDIN
Twitter icon
TWITTER
RSS icon
RSS

Ingrid Machado © 2019 - 2024

• Ingrid Machado © 2019 - 2024

• Layout por Victoria Facundes • Desenvolvido por Cristhian Rodrigues

VOLTAR AO TOPO

voltar para o topo