/ FACILITAÇÃO

Facilitando uma Lean Inception Remotamente - Dia 4

Foto de Morgan Vander Hart, via Unsplash

E cá estamos nós no último dia de Lean Inception, o que significa que esse é o último post da série. Além de descrever como foi a facilitação remota, encerro com os meus comentários a respeito da efetividade desses 4 dias no processo de construção do MVP e das ferramentas utilizadas.

Para este dia, haviam sido planejadas as atividades do Canvas MVP e Showcase.

Sequenciador de funcionalidades

No dia anterior, não fizemos a atividade de jornada do usuário. Então, após a atividade de revisão técnica, de UX e de negócio ficou acordado que iríamos ordenar as funcionalidades e verificar os pré-requisitos que poderiam estar faltando até a próxima reunião. Sendo assim, começamos a última reunião com o sequenciador de funcionalidades.

Para esta atividade, criei o sequenciador em uma seção do Conceptboard. O sequenciador de funcionalidades possui 5 ondas e é utilizado para ordenar e identificar a versão inicial do MVP. Para iniciar, movi todos os post-its com as funcionalidades avaliadas na atividade anterior para cima do sequenciador, só para uma melhor visualização.

Board com o sequenciador no Conceptboard

Board com o sequenciador no Conceptboard

Expliquei para o time as regras do sequenciador, que mantive expostas de forma resumida ao lado do quadro, como mostra a imagem seguinte. Descartei todas as funcionalidades marcadas de preto e pedi para o time discutir a respeito das funcionalidades restantes. Como havia notado que diversas funcionalidades ainda estavam sem pré-requisitos mapeados, reforcei que novas funcionalidades poderiam surgir no momento de definir as ondas.

Regras do sequenciador no Conceptboard

Regras do sequenciador no Conceptboard

Sendo assim, cronometrei um tempo para que todos ordenassem juntos as funcionalidades dentro das ondas, seguindo as regras. Surgiram novas funcionalidades, que passamos pela revisão técnica, de UX e de negócio e depois incluímos no sequenciador. Exemplos de funcionalidades do tipo seriam as de cadastros: para ter uma funcionalidade para o cliente fazer uma reserva, tenho que ter a funcionalidade de fazer o cadastro do cliente antes. Durante a ordenação das funcionalidades dentro das ondas, muitos pontos foram levantados a respeito do que valia incluir e o que deveria ser deixado para o outro momento. A imagem a seguir mostra como as funcionalidades foram distribuídas. Nenhum post-it vermelho foi incluído, mas todos seguiam as regras do sequenciador. Após a ordenação, também foi discutido sobre qual onda teria um MVP que traria um valor para o usuário, ou seja, em qual onda faria sentido lançarmos o MVP.

Board com o sequenciador preenchido no Conceptboard

Board com o sequenciador preenchido no Conceptboard

Finalizando a Lean Inception

Após a atividade do sequenciador, fizemos parte do que formaria o Canvas MVP. Então, debatemos onde o MVP seria validado e qual seriam as métricas utilizadas para validação.

É importante definir qual vai ser a forma de validação do MVP. Já temos o que vai ser construído e organizamos essa construção, mas precisamos ter ciência de que não vamos investir indefinidamente no MVP. É preciso medir o resultado, aprender com ele e ter um balizador para decidir se seguiremos adiante.

Não fizemos um Showcase, até porque não teríamos a pausa necessária para angariar todos os dados necessários para exibir. Mas foi feito um retrospecto a respeito de todos os artefatos gerados durante os 4 dias. Também acordei que enviaria tudo organizado para o time posteriormente.

Resumo:

Em todos os dias tivemos uma diferença entre o planejado versus realizado:

Planejado:

  • Dia 1: Kick-off, Visão do Produto, Produto É - Não É - Faz - Não Faz
  • Dia 2: Personas, Brainstorming de funcionalidades e Revisão técnica, de UX e de negócio
  • Dia 3: Revisão técnica, de UX e de negócio, Jornada do usuário e Sequenciador de funcionalidades
  • Dia 4: Canvas MVP e Showcase

Realizado:

  • Dia 1: Kick-off, Visão do Produto, Produto É - Não É - Faz - Não Faz (início da atividade após a reunião)
  • Dia 2: Produto É - Não É - Faz - Não Faz, Personas e Brainstorming de funcionalidades (início da atividade após a reunião)
  • Dia 3: Brainstorming de funcionalidades e Revisão técnica, de UX e de negócio
  • Dia 4: Sequenciador de funcionalidades e encerramento

Conclusão

Mesmo não realizando tudo o que foi planejado, acredito que conseguimos alinhar todos os integrantes do time em relação ao produto que deve ser desenvolvido. Temos artefatos suficientes para testar as nossas hipóteses e todos acordamos as métricas necessárias para considerar que o MVP foi um sucesso e que devemos seguir adiante.

No meu entendimento, poderíamos ter tido mais tempo disponível, mas isso não significa que não foi proveitoso. Geramos material suficiente para as próximas semanas de trabalho de forma bem rápida e acredito que vamos colher os frutos desses alinhamentos iniciais.

Sobre as ferramentas utilizadas, segui a configuração descrita no post inicial todos os dias:

  • Google Meet
  • Skype
  • Trello
  • Conceptboard
  • OneNote

Não quis mudar o Google Meet porque todas as agendas foram enviadas com antecedência e com as salas configuradas. Como o que não gostei nele (a função do microfone) não atrapalhou tanto assim, achei que não valeria a pena mudar as salas. Numa próxima oportunidade, provavelmente vou instalar algum plugin para resolver esse problema. Ou até mesmo usar o Discord, sugerido nos comentários.

Sobre as outras ferramentas, acredito que todas foram interessantes e na próxima oportunidade já vou considerar os resultados que tive no momento do planejamento da facilitação de cada atividade.

Muitas explicações foram dadas considerando que você já tem uma noção de como funciona uma Lean Inception. Caso nunca tenha lido a respeito, alguns pontos podem ter sido confusos. Então, recomendo o livro Lean Inception. Este é o livro oficial, escrito pelo Paulo Caroli, que tem todas as atividades descritas. Fiz o treinamento, que é bem interessante por mostrar tudo na prática, mas o livro descreve todas as atividades passo a passo e também em um contexto prático.

Além do livro, deixo também a caixa de comentários e o meu email disponíveis. Espero que todo esse conteúdo tenha sido proveitoso e que tenha feito sentido para o momento atual.

Até a próxima!

ingridmachado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software.
Autora deste querido blog.

Mais posts