/ DESENVOLVIMENTO PESSOAL

Cultivando o hábito da leitura

Foto de Photo by Thought Catalog, via Unsplash

Na virada de ano, prometi ler 12 livros durante 2021. Alcancei essa marca no início de abril e fico muito feliz com essa conquista, principalmente porque no ano anterior eu tive dificuldades para conseguir terminar todos os livros que iniciei.

Foram algumas mudanças simples na minha rotina que me ajudaram a mudar e são elas que gostaria de compartilhar com você nesse post.

Comece pelos seus gêneros favoritos

Mesmo que você não tenha o hábito de ler, certamente tem uma preferência em relação ao que pretende consumir. Então sugiro que comece com gêneros com os quais você se identifica, para que a chance de ter uma leitura prazerosa seja maior. Obviamente existem livros que você não irá gostar, mesmo que seja do seu gênero preferido, mas esse filtro já vai ajudar a escolher por onde iniciar.

Escolha livros pequenos

Quando estamos iniciando ou retomando o gosto de ler, parece que o mundo não tem opções de livros suficiente. Mas é preciso iniciar com calma e escolher livros menores para um primeiro momento. É muito mais satisfatório conseguir terminar histórias curtas, do que não conseguir ler grandes livros até o final.

Entre em um clube do livro

Se você quer conhecer pessoas que gostam de ler e debater a respeito do livro que estão lendo, entrar em um clube do livro é uma ótima opção. Eu participo de três clubes que costumam fazer encontros mensais (somente dois estão com leituras no momento) e o fato de ter uma data combinada para o encontro e interação durante a leitura, faz com que você se comprometa e se esforce para terminar o livro. Além disso, você também pode participar do encontro se não tiver finalizado, desde que não se importe em saber o final. Acredito que é a dose certa de motivação sem muita pressão.

Aproveite o Kindle

Se você gosta de ler livros no formato digital, ter um leitor de ebooks é muito vantajoso. O meu é um Kindle e eu também assino o Kindle Unlimited. Mesmo que você não queira fazer a assinatura, segue valendo a pena, porque geralmente livros no formato digital são mais baratos e sempre tem promoções com livros grátis. Além disso, ter um Kindle é muito prático e facilita muito para quem quer ler fora de casa.

Leia ficção e não ficção

Quando retomei a leitura, estava lendo um livro por vez. Agora que já consegui entrar no ritmo, leio sempre um livro de ficção e um de não ficção ao mesmo tempo. Antes de fazer isso sentia que tinha uma certa ansiedade para conseguir ler tudo o que eu queria e agora estou me sentindo satisfeita com o meu ritmo de leitura, alternando entre ficção e não ficção no mesmo dia.

Acompanhe e registre as leituras

Para acompanhar as leituras, utilizo o Cabeceira. É um APP da TAG, que possui funcionalidades para registrar o ritmo de leitura de livros físicos e digitais, além de montar uma wishlist e avaliar os livros lidos. Assim, você consegue ter uma visão de como anda o seu ritmo de leitura e há quantos dias você está ficando sem ler, por exemplo.

Para fazer um registro das leituras, utilizo um caderno. Costumo fazer um registro de trechos importantes e comentários a respeito do que li somente para os livros de não ficção. Como não gosto de riscar os livros, o máximo que faço diretamente neles é colar um post-it.

Busque recomendações

Quando você começa a ler num ritmo constante, é normal ficar mais crítico e querer dedicar o seu tempo para materiais com avaliações mais altas. Costumo anotar todas as recomendações que passam nos grupos do clube do livro, além de buscar nas listas de mais vendidos da Amazon ou nas listas de melhores livros do Goodreads.

Também estou sempre atenta aos perfis literários no Twitter, podcasts e blogs.

Conheça gêneros diferentes

Depois que o ritmo de leitura se estabelece, também é normal querer explorar todas as possibilidades. Eu comecei a assinar a TAG Inéditos em janeiro desse ano e tem sido ótimo. Por enquanto, recebi somente livros que eu provavelmente não teria priorizado na minha lista e terminei todos eles querendo mais.

Além de gêneros diferentes, você pode explorar livros com estruturas de capítulos incomuns. Sim, quando você começar a ler mais, vai perceber que nem todos os livros estão estruturados com “Capítulo 1”, “Capítulo 2”, “Capítulo 3”, etc. E essa forma diferente de organização muitas vezes é bem criativa.

Essa dica vale para a busca de recomendações também. Tente não se ater somente às comunidades que possuem apenas o que você gosta. Dar uma chance para o que não estás acostumado pode ser uma ótima forma de seguir cultivando o hábito da leitura.

Mantenha uma rotina

Na minha experiência, o que mais me ajudou a manter o hábito da leitura foi ler antes de dormir. Eu estava querendo começar a dormir mais cedo e ficar um pouco longe do celular na mesma época que queria voltar a ler. Trocar o celular por um livro antes de dormir não só me ajudou a dormir mais cedo, como também melhorou e muito a minha qualidade de sono. Então eu consegui atrelar dois hábitos bons, removendo um hábito ruim somente com essa mudança. Ou seja, mais uma motivação para seguir lendo.

Foque na leitura

Quando estou lendo, gosto de estar no sofá ou na cama, sem estar ouvindo TV ou até mesmo música. Hoje em dia, consigo ler com mais ruídos à minha volta, mas quando retomei a leitura, qualquer barulho me chamava a atenção. Muitas vezes relia a mesma página umas 3 vezes para não perder o fio da meada e de vez em quando precisava ficar voltando para entender alguma coisa. Então, por mais que exija muita atenção no começo, conforme você se acostuma esse foco é um pouco menos necessário, mas ainda muito importante para a imersão na história.

Considere a leitura como uma opção de entretenimento

Eu tenho o costume de entrar na Netflix, perder uma hora do meu dia navegando pelo catálogo e quando acho alguma coisa para ver, reclamo que já está tarde e não vejo nada. Para evitar esse tipo de situação, passei a impor um limite: se eu ficar mais do que 15 minutos procurando alguma coisa para assistir, vou seguir lendo o livro de ficção que estou lendo no momento.

Até agora, não tenho me arrependido da decisão de optar pelo livro como uma forma de entretenimento. E destaco isso porque passei muitos anos lendo somente não ficção e não me deixando ser levada por leituras mais leves.

Comemore a evolução

Seguindo a mesma lógica da dica de começar por livros pequenos, não se esqueça de comemorar quando uma história é concluída ou quando você aprendeu algo novo. Só de parabenizar a si mesmo e entender que está evoluindo, a motivação segue alta e você não irá desistir.


Não fiz todas essas mudanças ao mesmo tempo. Então recomendo que tente experimentar uma de cada vez, para saber o que funciona e o que não funciona para você. É muito provável que você nem precise seguir todas essas dicas, mas o mais importante é persistir e aproveitar cada avanço.

Se alguma dica deu certo, me conta depois. Tem alguma sugestão diferente? Os comentários estão sempre abertos.

Até a próxima!



ingridmachado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software.
Autora deste querido blog.

Mais posts