/ INSIGHTS

Bootcamp de Liderança Feminina - Semana 2

Foto de Mia Baker, via Unsplash

A segunda semana do Bootcamp de Liderança Feminina teve 3 aulas bem interessantes, que achei que foram mais parecidas com uma conversa. Mesmo tendo algumas referências e diversos conteúdos extras para consulta, acho que você vai notar que este post está bem menor do que o anterior. Mas isso não significa que essa semana teve pouco conteúdo, mas sim que acredito ser necessário assistir o que foi dito para entender melhor os assuntos dessa semana.

Como no post anterior, fica o aviso de que aqui estão reunidas apenas as anotações das palestras e não as transcrições completas.

Protagonismo e planejamento de carreira

A primeira aula da semana foi ministrada pela Marissol Alves, que é gerente de programa de carreiras na Microsoft. O conteúdo iniciou com uma reflexão: estamos onde chegamos por sorte, planejamento ou deixamos a vida nos levar? Confesso que o meu caso é um misto dos 3, mas saí bem convencida de que não podemos contar com a sorte ou com a vida nos levando para onde quiser.

"Slide mostrando a jornada do herói"

A jornada do herói foi apresentada para que possamos traçar um paralelo entre o que forma esta jornada e a nossa carreira: o herói passa por momentos de transformação para criar uma melhoria e na posição de protagonista nós lidamos com diversas escolhas.

Problemas que não podemos controlar não devem determinar a nossa carreira.

Apesar de podermos desempenhar diversos papéis durante a nossa vida profissional, o ideal é escolher o papel de protagonista:

  • Gestores, empresas, professores, colegas e mentores desempenham um papel de coadjuvantes
    • Fornecem orientação
    • Apoiam nos programas de desenvolvimento profissional
    • Dão feedbacks a respeito das nossas habilidades
    • Nós limitamos a influência que eles possuem sobre as nossas escolhas
  • Você como protagonista
    • Analisa os cenários
    • Planeja o futuro desejado
    • Busca soluções
    • Pede ajuda

“Temos em média de 4 a 5 carreiras ao longa da vida e isso segue mudando. Avalie se você está escrevendo a sua própria história.”

"Slide mostrando por que planejar"

Planejamento de carreira

Ao discutir com o gestor sobre a nossa carreira, devemos dizer o que almejamos e não esperar ouvir dele o que deve ser planejado. O gestor vai guiar o caminho, mas isso não é possível sem saber o que desejamos.

Existem diversas ferramentas para coach com foco em carreira:

  • OSCAR
  • Método Canvas
  • SWOT
  • GROW

A GROW é a ferramenta utilizada pela Microsoft e que foi utilizada para mostrar como fazer o planejamento de carreira.

"Slide mostrando o fluxo GROW"

GROW

Objetivos (Goals)

Nesta etapa inicial, você deve pensar no que você deseja. Podemos pensar numa pessoa bem-sucedida como exemplo e no nosso propósito.

"Slide mostrando o que é propósito"

Em caso de dúvidas a respeito do que queremos, podemos adotar ferramentas de autoavaliação:

O importante é pensar em objetivos tangíveis.

"Slide mostrando como criar objetivos tangíveis"

Realidade

Aqui você avalia onde você se encontra. Avalie quanto falta percorrer para que você atinja os seus objetivos. Faça uma lista com as lacunas de habilidades em seu currículo hoje.

"Slide mostrando como definir as habilidades prioritárias (60% de match)"

Estudo diz que mulheres só aplicam em vagas quando estão muito próximas de todas as habilidades exigidas.

Quando o RH publica uma vaga, ele já sabe que não vai conseguir encontrar o candidato ideal. A expectativa é a de selecionar o candidato mais próximo do esperado e trabalhar as habilidades faltantes. A sugestão aqui é que devemos buscar atender à 60% dos requisitos da vaga.

Para entendermos o nosso momento atual, precisamos considerar:

  • Quais habilidades precisam ser aprimoradas?
  • Qual é a sua disponibilidade de tempo?
  • Qual é a sua disponibilidade financeira?
  • O que tem impede de dar o próximo passo?
  • O que é inegociável?

Opções

Agora chegamos na etapa onde precisamos avaliar o que podemos fazer. Devemos pensar em quem pode nos ajudar nesse processo e fazer uma lista de alternativas para cada uma das perguntas feitas na etapa anterior.

Também é importante fazer uma autoavaliação de competências. Para ajudar a avaliar os seus pontos fortes e pontos fracos, é interessante solicitar um feedback honesto de quem pode te ajudar. É necessário estar pronto para receber o feedback de forma humilde, sem associar à crítica e usar somente para o seu crescimento.

Inclua nas suas opções os diversos recursos gratuitos existentes para capacitação (Udemy, Cousera, etc.).

Formas de ganhar experiência:

  • Voluntariado
  • Projetos extras
  • Participação em eventos da área
  • Engajamento em fóruns e bootcamps
  • Ofereça ajuda

Próximos passos (Way Forward)

Agora é hora de definir o que você pretende fazer. Essa ferramenta gera um plano, que é o seu plano A. Mas é igualmente importante ter um rascunho do plano B.

  • Liste todas as tarefas que deveriam ser realizadas e classifique-as em ordem de prioridade
  • Prepare uma linha do tempo
  • Encaixe as tarefas prioritárias na linha do tempo
  • Crie mecanismos de controle

Você pode ter diversos mentores: um sobre liderança, outro sobre parte técnica, do trabalho, da faculdade, etc.

Para finalizar o seu plano:

  • Valide o seu plano com seus mentores
  • Reflita a respeito dos seus objetivos e lacunas
  • Desenvolva novas habilidades
  • Planeje suas ações no calendário
  • Revise o seu plano periodicamente

Referências:

Três fatores que podem atrapalhar as mulheres na busca por emprego, segundo o LinkedIn

Microsoft Learn

LinkedIn Learning

Instagram @carreiradicas

Personal branding: Linkedin, networking e mais!

A segunda palestra da semana foi a da Amanda Graciano, Head de portfólio e geração de negócios no iDEXO by TOTVS e Top Voice do LinkedIn. Tiveram muitos comentários interessantes e me fez pensar no uso que fazemos do LinkedIn no dia a dia.

Marca pessoal: é a sua reputação; a forma que outras pessoas lembram de você

Gestão da marca é formada por 3 pilares:

  • Autoconhecimento
  • Formação
  • Posicionamento

O conceito de marca pessoal vem muito antes do que mostramos nas redes sociais. Ela deve focar nos pontos fortes; ninguém vende algo falando sobre os pontos negativos.

"Slide mostrando o que é a sua marca pessoal"

Sempre mostramos nosso posicionamento nas redes sociais

"Slide mostrando que você é mais do que o seu trabalho"

Precisamos saber quem somos com clareza, sem depender somente da percepção dos outros. Feedbacks são importantes, mas não podem ser tudo.

Branding:

  • Ações estratégicas para uma marca
  • Só faz sentido pensar em personal branding se entendemos que somos uma marca

LinkedIn

  • Entrega conteúdo organicamente
  • Independente da recorrência, você deve produzir conteúdo com coerência
  • Tipo de conteúdo
    • Vídeos nativos
    • Textos
    • Artigos
    • Stories
    • Documentos em PDF
  • Categoria de conteúdo (categorias da palestrante)
    • Cultura da empresa
    • Inovação
    • Resultados de um projeto
    • Aprendizados
    • Diversidade
  • Mensalmente, ela faz um cruzamento do tipo versus categoria do conteúdo para diversificar o que é produzido

"Slide mostrando os indicadores do painel do LinkedIn"

Dicas de networking:

  1. Ajude as pessoas a resolverem os seus problemas
  2. Compartilhe ideias e conhecimento
  3. Indique parcerias, referências e clientes para a sua rede
  4. Dê sem esperança de receber
  5. Esteja presente, principalmente em novos relacionamentos
  6. Cerque-se de pessoas que você admira

Sucesso não é “mandar” nas pessoas. É mudar a vida delas profundamente!

Referência:

Livro: Descubra seus pontos fortes - Don Clifton e Tom Rath

Comunicação estratégica e seu impacto

A última aula da semana foi com a Bruna Cortez. A Bruna é gerente de comunicação da Microsoft e compartilhou a experiência dela com comunicação corporativa. Também foi uma palestra que me fez repensar a forma como me posiciono em diversos momentos da minha vida, seja vida pessoal ou profissional.

"Slide mostrando o que é comunicação"

Efetividade na comunicação não é somente o que você fala, mas como você fala.

Segundo o LinkedIn, a comunicação é uma das habilidades mais valorizadas atualmente.

Alguns mitos da comunicação:

  • A comunicação é um dom
  • Não dá para praticar/treinar comunicação
  • Para me comunicar bem, preciso “falar bonito”

Devemos exercitar o que queremos falar, assim a mensagem será transmitida de forma mais clara

"Slide mostrando que tudo comunica"

"Slide mostrando o que funciona na comunicação"

Planeje o que você gostaria de comunicar:

  • O que você quer deixar para cada um que veio te escutar?
  • Como que você quer que as pessoas saiam após a apresentação?
  • Qual é a mensagem mais importante que você tem para transmitir?

Mantras de comunicação: para reforçar o que está sendo dito, é necessário repetir mais de uma vez.

Pontes: reconhecer o que está sendo dito e voltar para a mensagem que você deseja entregar.

"Slide mostrando que devemos ter cuidado ao falar"

Redes sociais:

  • Seu “eu pessoal” não é dissociável do seu “eu profissional”
  • Você é o que você compartilha

Referência:

Podcast: CBN Comunicação e Liderança - Leny Kyrillos


Isso foi tudo o que anotei sobre a segunda semana. Deixo novamente a recomendação de que assistas aos vídeos para conseguir entender todas essas referências.

Até a próxima.



ingridmachado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software.
Autora deste querido blog.

Mais posts