/ INSIGHTS

Bootcamp de Liderança Feminina - Semana 1

Foto de Mia Baker, via Unsplash

Como já havia comentado na newsletter, o Bootcamp de Liderança Feminina, promovido pela WoMakersCode em parceria com a Microsoft, começou no dia 26/10. O evento terá duração de 4 semanas e nesse post vou falar sobre as 4 aulas da primeira semana.

O bootcamp iniciou com as seguintes aulas:

Para cada aula, vou falar a respeito do que foi exposto de forma geral, junto das anotações que fiz e as referências que anotei para consultar. Sendo assim, peço que considere este post como um bloco de notas do bootcamp, a intenção não é transcrever cada uma das palestras.

Design thinking para felicidade

A primeira aula foi ministrada pela Karen Cesar, CEO da RedBandana Branding e design de inovação e cultura. Foi uma aula que me surpreendeu positivamente, porque teve muito conteúdo e muita fonte extra para consulta.

Na parte inicial, foram apresentadas definições importantes para entender o resultado esperado no processo de Design Thinking aplicado de forma pessoal. Também foi contextualizada a importância da felicidade, principalmente no momento que estamos vivendo. Ela falou a respeito de mudanças no mercado de trabalho, que envolvem a percepção de que a produtividade está diretamente atrelada à saúde e ao bem-estar dos colaboradores e de que as percepções e emoções geram as motivações para o trabalho.

6 fatores para o bem-estar psicológico:

  1. Auto aceitação
  2. Crescimento pessoal
  3. Propósito na vida
  4. Domínio do entorno
  5. Autonomia
  6. Relações positivas com os outros

"Slide mostrando por que investir na felicidade no trabalho"

O bem-estar é um facilitador de inovação:

  • Propósito e cultura são chave
  • Desenvolvimento pessoal é vital
  • Valorização por resultados e não por tempo de empresa
  • Horários flexíveis
  • Demanda por feedback regulares
  • Revisão do conceito de hierarquia
  • Salários e títulos pesam, mas não tanto quanto o equilíbrio vida e trabalho

"Slide mostrando o que torna o time mais engajado"

A inovação vem com a liderança positiva:

  • Clima positivo
  • Comunicação positiva
  • Relações positivas
  • Significado positivo

Num segundo momento, o foco foi a “química da felicidade” e o que não é felicidade. Achei essa parte bem importante, porque mostra um embasamento de um ponto de vista que pelo menos eu não costumo observar. Estudar a respeito de psicologia, inteligência emocional e bem-estar é algo muito novo para mim, porque no início da minha carreira eu nem tinha ciência da importância desses pontos no meu desenvolvimento.

Um tema muito interessante é o nosso relacionamento com as redes sociais. Nós temos uma percepção distorcida dos relacionamentos, porque estamos convivendo menos com as pessoas e vendo somente o que é exibido na rede social. É importante tentar diminuir a frequência e o tempo que passamos conectados e, principalmente, conseguir perceber quando o hábito de se relacionar através das redes sociais virou um vício. Eu mesma estou sempre tentando diminuir o uso e, sempre que consigo deixar um pouco de lado, noto os benefícios quase que de forma imediata.

Burnout: queima completa, sugerindo que o profissional portador dessa síndrome se consumiu física e emocionalmente. Reação à tensão emocional crônica, por trabalho exaustivo com pessoas.

"Slide mostrando competências"

Agilidade de aprendizado: é a capacidade e a disposição para aprender rapidamente, com experiências para aplicar o aprendizado de modo a apresentar desempenho em situações novas e complexas.

"Slide mostrando os determinantes da felicidade"

Exercite seu cérebro para liberar as “químicas” da felicidade:

  • Dopamina: recompensas
  • Ocitocina: laços sociais
  • Serotonina: ser especial para alguém
  • Endorfina: sorria!

O que não é felicidade:

  • Sensação de prazer o tempo todo
  • Hábitos mentais
  • Adaptação hedônica (só serei feliz quando…)
  • Sempre ter as necessidades atendidas
  • Busca incessante por bens materiais
  • Criar expectativas
  • Viver no passado (relacionado com a depressão)
  • Viver no futuro (relacionado com a ansiedade)

A parte final foi focada no processo de Design Thinking. Existem diversas abordagens, mas a utilizada foi a da D.School. Para seguir o fluxo “Empatia – Definição – Ideação – Prototipagem – Teste”, foram apresentadas diversas ferramentas e sugestões de como aplicar as técnicas, que costumamos ver somente nas empresas, nos nossos projetos pessoais. Isso significa que devemos nos colocar como a persona do processo, respondendo às questões de forma sincera e empática, para descobrirmos soluções para os problemas que já temos sem necessidade de recorrer a outros meios.

"Slide mostrando a abordagem de Design Thinking da D.School"

Seu roadmap:

  • Por que eu existo?
  • Que marca vou deixar no mundo?
  • Onde estou?
  • Onde quero chegar?
  • Como chegarei lá?
  • Com quem chegarei lá?
  • Quanto custa para chegar lá?

"Slide mostrando uma ferramenta de empatia e definição"

"Slide mostrando os passos da ideação"

10 hábitos para hackear a felicidade no trabalho e na vida:

  1. Exercite-se
  2. Durma mais e melhor
  3. More perto do trabalho
  4. Mais tempo com família e amigos
  5. Passe tempo ao ar livre
  6. Seja solidário, ajude sempre
  7. Pratique o sorriso
  8. Planeje uma viagem de férias e não saia de férias
  9. Medite
  10. Pratique a gratidão

Inteligência positiva

  • Crie novos hábitos
  • Ajude seus coworkers
  • Mude a sua relação com o stress

Referências:

Sites:

Psicologia positiva

Millennial mindset

The Inner Mammal Institute

IDEO

Livros:

Florescer - Martin Seligman

Flow - Mihaly Csikszentmihalyi

The How of Happiness – Sonja Lyubomirsky

The Happiness Advantage: How a Positive Brain Fuels Success in Work and Life - Shawn Achor

Before Happiness: The 5 Hidden Keys to Achieving Success, Spreading Happiness, and Sustaining Positive Change - Shawn Achor

Vídeos:

Rethinking work for the modern world - Adam Henderson - TEDxFolkestone

Cérebro feliz: como superar nossa predisposição neural ao sofrimento - Amit Sood, MD - TEDxUNI

Why we’re unhappy – the expectation gap - Nat Ware - TEDxKlagenfurt

The Dark Side of Happiness - Meik Wiking - TEDxCopenhagen


Soft skills: 5 habilidades para impulsionar sua carreira

A segunda aula foi ministrada pela Daniela Vitaliano, que é diretora de marketing e excelência em vendas, e pela Daniela Sicoli, que é Business Partner de RH na América Latina, ambas da Microsoft.

Conforme o título já antecipa, a apresentação foi dividida em 5 softskills:

  1. Liderança
  2. Presença
  3. Inteligência emocional
  4. Networking
  5. Coaching

A dinâmica foi bem interessante: a cada item a Daniela Vitaliano apresentava a definição e algumas fontes e, em seguida, a Daniela Sicoli explicava como a soft skill é desenvolvida dentro da Microsoft.

"Slide mostrando os componentes de uma carreira de sucesso"

Liderança

Neste item, reforçaram a definição da nova liderança, que havia sido apresentada na aula anterior:

  1. Propósito e valores
  2. Rede de times
  3. Liderança de suporte
  4. Experiência e adaptação
  5. Liberdade e confiança
  6. Tomada de decisão compartilhada
  7. Transparência radical
  8. Talentos e expertise/superação

Presença

Esta soft skill foi apresentada como a capacidade de desempenhar o seu papel em situações diferentes e com exposição, algo que não é ensinado na faculdade. Também foi dito que não é uma habilidade exclusiva de pessoas famosas, pois podemos reconhecer a presença em diversas pessoas, inclusive em nós mesmas.

Presença: sensação que uma pessoa trás para a audiência quando ela se posiciona ou entra em algum lugar. Inspira e trás confiança.

Achei uma citação que foi dada como exemplo para a presença bem interessante:

“Se você está em uma reunião por voz e não trás nenhum comentário, pergunta ou menção, você não existiu para aquela audiência.” - Executiva da Microsoft

"Slide mostrando as características de um bom líder"

Presença de liderança efetiva:

  1. Estar presente: intencionalmente direcionar as suas energias para estar no momento
  2. Construir relacionamentos: ouvir, buscar uma conexão, ter empatia
  3. Comunicação: como você consegue se expressar
  4. Auto conhecimento: conhecimento e aceitação, ser autêntico

Inteligência emocional

Neste item, foram apresentados os 5 pilares da inteligência emocional:

  1. Auto-consciência
  2. Auto-regulação
  3. Auto-motivação
  4. Empatia
  5. Competência social

Também foram apresentadas as iniciativas da Microsoft em “WellBeing”:

  • Be Well: plataforma da Microsoft para que funcionários encontrem atividades, programas e recursos que os ajudem a cuidar de seu corpo e mente
  • Investimento em bem-estar, que já era feito antes da pandemia, foi reforçado
  • Profissionais que procuram apoio são tratados anonimamente, nem o RH tem acesso
  • Foram concedidas licenças de 12 semanas, para que os funcionários pudessem cuidar dos familiares durante a pandemia

Achei bem interessante o lado humano da empresa que foi mostrado durante toda a apresentação, mas esses pontos se destacaram, na minha opinião.

Networking

Aqui foi apresentado que o networking não é uma habilidade, mas sim uma ciência. Usando como referência o pesquisador Brian Uzzi, foram destacadas as redes informais, que poucas pessoas usam para o sucesso dos projetos e que são de extrema importância.

Existem diversas redes, formais e informais, e todas impactam os negócios. Vai muito além das redes sociais.

Também foi apontada a diferença entre as redes de contatos de homens e mulheres bem-sucedidos. Apesar de serem parecidas, as mulheres bem-sucedidas possuem uma rede de mulheres, que as ajudam a ter visibilidade nas oportunidades no mercado de trabalho sem vieses.

Câmara do eco: fenômeno que ocorre quando nos relacionamos somente com pessoas que são parecidas com a gente. Você fala e escuta basicamente somente o que você quer ouvir, sem diversidade de opiniões.

Outro ponto importante que eu considerei que preciso trabalhar bastante é aproveitar a minha rede de contatos. As pessoas que buscam crescer na carreira planejam suas conexões e aproveitam as oportunidades que possuem para conversar com quem pode agregar na evolução da carreira. Um exemplo interessante foi o da palestrante, que estava preocupada em chegar bem arrumada na festa da empresa enquanto o colega estava preocupado em chegar cedo, para conseguir conversar com o máximo de pessoas possível.

Coaching

“O coaching é uma jornada individual, suportada por outra pessoa. Para um coaching efetivo, é necessário que você tenha claro o que você quer desenvolver. O coach não vai te dar um caminho estruturado, mas sim te ajudar a evoluir e desenvolver as questões que você quer desenvolver, através do seu auto-conhecimento.”

O modelo de desenvolvimento individual da Microsoft é exatamente o mesmo da empresa onde trabalho hoje: o 70-20-10.

"Slide mostrando o modelo de desenvolvimento individual da Microsoft"

Na minha opinião, o destaque deste item foi o exercício “O seu melhor reflexo”. Apesar de precisarmos desenvolver os nossos pontos fracos, é importante que sigamos desenvolvendo os nossos pontos fortes.

"Slide mostrando o exercício 'O seu melhor reflexo'"

“Soft skills estão muito relacionadas ao auto-conhecimento e aprendizado. É uma jornada pessoal, que nunca tem fim. Sempre temos o que melhorar.”

Referências:

Sites:

Center for positive organizations

Artigos:

How to Build Your Network - Brian Uzzi e Shannon Dunlap (não consegui encontrar a fonte exata, mas este artigo na HBR é do pesquisador citado na aula)

How to Play to Your Strengths - Laura Morgan Roberts, Gretchen Spreitzer, Jane E. Dutton, Robert E. Quinn, Emily D. Heaphy e Brianna Barker

Livros:

O poder da presença - Amy Cuddy

Leadership Presence - Belle Linda Halpern e Kathy Lubar

Inteligência emocional - Daniel Goleman

Vídeos:

Sua linguagem corporal molda quem você é - Amy Cuddy - TEDGlobal

O segredo para as grandes oportunidades? A pessoas que você ainda não conheceu - Tanya Menon - TEDxOhioStateUniversity


O novo mundo do trabalho e o equilíbrio entre vida e carreira

A terceira aula do bootcamp começou com a Mariana Hatsumura, diretora de Modern Work & Security na Microsoft. Ela iniciou explicando que nós vivemos dois anos de transformação digital em dois meses, então houve uma preocupação da Microsoft de pesquisar os impactos dessas mudanças na vida das pessoas para a melhoria das ferramentas que vêm sendo mais utilizadas, principalmente o Microsoft Teams.

"Slide mostrando que a transformação digital também é transformação das pessoas e da cultura"

Uma pesquisa a respeito do impacto da pandemia no trabalho concluiu que as pessoas estão com maior dificuldade para encontrar um equilíbrio justo entre a vida pessoal e a vida profissional. Sendo que o maior índice de dificuldade estava entre os millennials (nascidos entre 1980 e 1995) e a geração Z (nascidos entre 1990 e 2010).

"Slide mostrando resultado da pesquisa sobre os impactos da pandemia no trabalho"

Outra pesquisa realizada, foi a respeito da fadiga com o trabalho remoto. Foi concluído que a colaboração remota é mais desafiadora e reuniões de vídeo levam à maior fadiga mental. Além disso, relacionamentos iniciados de forma remota ainda terão dificuldades no momento de serem estabelecidos com a mesma conexão de forma presencial no futuro.

Fadiga mental nas reuniões:

  • Em 20 minutos, inicia o cansaço mental
  • Em 2 horas, o cérebro atinge um estado de stress
  • Pausas são extremamente importantes para a efetividade das reuniões

A jornada padrão das 9h às 17h não existe mais:

  • Trabalho tem iniciado entre 7h e 9h, se estendendo até à noite
  • Muita atividade de trabalho sendo realizada no final de semana

A terceira pesquisa apresentada inclui dados do Brasil, igualmente preocupantes:

  • O Brasil foi o país que mais apontou efeitos do burnout
  • Alto índice de burnout está atrelado ao aumento de horas trabalhadas e falta de separação entre a vida pessoal e o trabalho
  • Horário de trabalho “ingerenciável”
    • 48% de aumento de chats
    • 55% de aumento de reuniões
    • 66% de aumento de chats realizados fora do horário de trabalho

"Slide mostrando resultado da pesquisa sobre o futuro do trabalho híbrido"

A aposta é um futuro onde as empresas adotarão cada vez mais o formato de home office. Mas o escritórios seguirão existindo com uma nova função no dia a dia do trabalho:

  • Estações de trabalho não serão fixas
  • Não haverá mais uma separação por áreas
  • Existirão espaços com silêncio absoluto e espaços para reuniões com muita colaboração
  • Serão pensados para uma melhor colaboração e melhor produção

A Microsoft também compartilhou 5 aprendizados com o trabalho remoto:

  1. Compartilhar orientação de trabalho (“etiqueta”)
  2. Gerenciar reuniões consecutivas
  3. Criar espaço para as pessoas se desconectarem
  4. Continuar impulsionando a cultura da equipe
  5. Praticar as habilidades de gestão

A segunda parte foi ministrada pela Cristina Ussami, que é Principal Delivery Pursuit Lead da Microsoft, e focou no Work Life Balance (WLB). Inicialmente ela falou a respeito da carreira e de como as experiências dela como workaholic e mãe a fizeram pensar em mudar a rotina dela. Apesar de sempre tentar ser a mais dedicada, muitas vezes as atitudes dela eram vistas como algo ruim para o time. Além disso, também havia a desvantagem de não estar passando tempo suficiente com a filha.

Atualmente, ela gerencia o WLB Clinics: um grupo de pessoas que passaram por experiências onde deixaram a vida pessoal de lado por causa do trabalho. Os encontros iniciam com discussões de até 2 horas e sempre trazem um palestrante para falar sobre WLB. A ideia é discutir sobre como melhorar o WLB no dia a dia.

Work Life Balance: alocar seus principais recursos nos elementos mais importantes da sua vida

Os elementos mais importantes da nossa vida são:

  • Tempo
  • Pensamento
  • Capacidade de trabalho
  • Emprego
  • Família e amigos
  • Você mesma

"Slide mostrando que não devemos perseguir o unicórnio, ou seja, forçar nossos limites"

Para conseguir atingir o WLB:

  • Defina suas prioridades
  • Desconecte-se completamente
  • Gerencie o stress
  • Planeje e acompanhe
  • Tenha hobbies

"Slide mostrando que devemos nos concentrar no que podemos controlar"

Referências da palestra da Mariana Hatsumura:

Sites:

O índice das tendências de trabalho

2 weeks in: what we’ve learned about remote work

Referências da palestra da Cristina Ussami:

Vídeos:

How to turn off work thoughts during your free time - Guy Winch - TED Salon: Brightline Initiative

The cost of work stress - and how to reduce it - Rob Cooke - TED@WellsFargo


Mindfulness como estratégia de carreira

A última aula da semana foi ministrada pela Thais Requito, especialista em mindfulness no trabalho, que trouxe uma abordagem de como viver uma vida com mais qualidade e potencializar a nossa carreira. Antes de entrar na definição de mindfulness, ela trouxe a necessidade de trabalharmos as nossas competências emocionais:

  • Estamos vivendo no mundo VUCA
    • Volátil
    • Incerto (Uncertainty)
    • Complexo
    • Ambíguo
  • Algumas habilidades são transferíveis, ou seja, podemos aproveitá-las em qualquer momento da nossa carreira
    • Adaptabilidade
    • Flexibilidade
    • Criatividade
    • Inovação
  • As habilidades comportamentais já são prioridade nº 1 em contratações
    • Comunicação assertiva
    • Empatia e capacidade de dar feedback
    • Autogerenciamento
    • Resolução de problemas
    • Relação interpessoal
  • Existem habilidades que não podem ser replicadas por inteligência artificial
    • Identificar e reconhecer comunicação não verbal
    • Demonstrar empatia
    • Ajudar outras pessoas a se desenvolverem
  • A tecnologia nos ajuda a aprofundar as relações humanas, mas temos o desafio de desenvolver e incorporar a cultura remotamente
  • As mulheres estão sendo mais afetadas pela pandemia
  • E as 10 competências do amanhã para prosperar na vida profissional incluem muitas soft skills

"Slide mostrando as 10 principais habilidades para 2025"

A lista é enorme e acredito que, buscando mais referências, encontraríamos mais motivos para desenvolver as nossas competências emocionais. Então a sugestão é sair do piloto automático e viver uma vida mais consciente. Isso é possível com a prática de mindfulness, que é uma combinação de intenção, atenção e atitude. Podemos exercitar o mindfulness com meditação ou durante atividades do dia a dia.

"Slide mostrando a definição de mindfulness"

As vantagens da prática incluem:

  • Inteligência emocional
  • Felicidade e bem-estar
  • Empatia e conexão

Devemos começar de forma acessível e ir evoluindo, com disciplina e paciência. Se estamos interessadas pela experiência do momento presente, o cérebro está sendo ensinado a fazer isso e novas conexões estão sendo feitas.

Neuroplasticidade: capacidade do cérebro de se moldar de acordo com as nossas experiências

"Slide mostrando 5 dicas de mindfulness para o dia a dia"

A aula terminou com uma demonstração da prática bem rápida, mas que já foi o suficiente para desacelerar o meu dia.

Referências:

Artigos:

Habilidades comportamentais já são prioridades nº 1 em contratações

These 6 skills cannot be replicated by artificial intelligence

The Post-Pandemic Rules of Talent Management

COVID isn’t gender neutral- it hit women hardest. How to reset the world of work, by the head of UN Women

These are the top 10 job skills of tomorrow – and how long it takes to learn them

Sites:

Site da Thais Requito

Oxford Mindfulness Centre

Livros:

Shawn Achor - O jeito Harvard de ser feliz

Aplicativos:

Insight Timer

Lojong


Sei que são muitas anotações, mas é porque essa primeira semana foi muito boa. Estou com a expectativa bem alta para as próximas aulas e pretendo deixar as anotações documentadas aqui também.

Até a próxima!



ingridmachado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software.
Autora deste querido blog.

Mais posts