/ FACILITAÇÃO

Facilitando uma Lean Inception Remotamente - Dia 2

Foto de Ali Yahya, via Unsplash

Para o segundo dia tinha planejado as atividades para criar as Personas, Brainstorming de funcionalidades, e Revisão técnica, de UX e de negócio.

Como no dia anterior finalizamos a reunião com uma atividade individual, devido à limitação de tempo, inicio a postagem de hoje a partir da continuação da atividade É - É - Não É - Faz - Não Faz.

É - Não É - Faz - Não Faz

Como tarefa do dia anterior, todos deveriam preencher o cartaz no Conceptboard e iniciaríamos o segundo dia debatendo o que foi incluído. Então, expliquei a atividade e passei a seguinte definição para ajudar o time:

Para descrever o produto como substantivo ou adjetivo, coloque o post-it no “É”; mas se for um verbo, indicando uma ação, coloque no “Faz”. [1]

É - Não É - Faz - Não Faz preenchido

É - Não É - Faz - Não Faz preenchido

Iniciamos a reunião com o board preenchido, como ilustrado na imagem anterior. Para agrupar os itens, fui repassando por cada post-it (cada pessoa inseriu os seus itens em um mesmo post-it) e caso alguma coisa não estivesse alinhada ou fosse contra o entendimento de alguém, o item era debatido e reclassificado, caso necessário.

É - Não É - Faz - Não Faz agrupado

É - Não É - Faz - Não Faz agrupado

Depois de consolidar todos os posts-its e o time comentar a respeito do que preencheram, pedi para preencherem uma coluna do Trello com os 3 principais objetivos do produto (um cartão para cada objetivo). Cada um deveria incluir individualmente, independente da repetição de objetivos. Após a inclusão, os três mais recorrentes foram selecionados como os principais objetivos do produto.

Personas

Para criar as personas, dividi o time novamente em duplas. Também sorteadas previamente e que desempenharam a atividade em calls paralelas no Skype. A atividade foi exemplificada mostrando o cartaz de personas criado no Conceptboard.

Cartaz de persona

Cartaz de persona

Criei um card com o template no Trello, então seria necessário somente duplicá-lo e preenchê-lo com os dados da persona. Durante um tempo estabelecido, cada dupla deveria criar a sua e incluí-la na lista correspondente do Trello. Fiz essa atividade com duas configurações de duplas diferentes e assim foram criadas 6 personas.

Personas no Trello

Personas no Trello

Depois que todas as personas foram incluídas no Trello, fiz a leitura de cada uma e solicitei que cada integrante votasse nas duas personas que consideraram como sendo as principais usuárias do produto. Para essa votação, instalei o power-up de votação do Trello. Ele inclui a ação “Votar” nos cards e exibe no card dentro da lista o número de votos recebidos. Assim, não é necessário montar uma enquete ou ficar perguntando o voto de cada um. Nesse formato conseguimos fazer uma votação bem rápida e definir as 3 principais personas do nosso produto.

Votação no Trello

Votação no Trello

Brainstorming de funcionalidades

Com os 3 principais objetivos e as 3 principais personas definidas, preenchi o board criado no Conceptboard.

Brainstorming de funcionalidades no Conceptboard

Brainstorming de funcionalidades no Conceptboard

Nessa atividade, foram usados os post-its virtuais e também deixamos o preenchimento inicial para ser feito até a próxima reunião, novamente devido à limitação de tempo.

Expliquei sobre a atividade e como cada quadrante deveria ser preenchido. Para gerar uma funcionalidade, devemos responder às seguintes perguntas:

O que deve ter no produto para atender às necessidades da persona? Quais funcionalidades devemos construir para atingir esse objetivo do produto? [2]

Finalizamos a reunião com o acordo do time preencher o board com as funcionalidades do produto, baseados nos objetivos e nas personas definidas anteriormente.

Considerações finais

No segundo dia, o time conseguiu perceber melhor o que iríamos construir. A intenção era fazer em grupo o brainstorming de funcionalidades. Infelizmente, o tempo não foi suficiente, mas isso aconteceu porque tivemos discussões durante as atividades que refinaram o MVP. Então, novamente, o meu maior inimigo na facilitação foi o tempo e não o formato remoto.

Mesmo tendo planejado iniciar a revisão técnica, de negócio e de UX, não acredito que teremos muitas perdas nos próximos dias. Provavelmente pularei alguma atividade ou farei uma versão resumida para conseguirmos finalizar.

Tá conseguindo acompanhar? Sei que está um texto meio corrido e que muitos conceitos são somente citados e não explicados, mas a intenção é explicar como foi o processo de facilitação remota. Caso tenha alguma dúvida ou alguma sugestão de conceitos que podem ser explicados de uma forma mais profunda em um outro post, os comentários estão sempre abertos.

Até amanhã!


  1. Fonte: Lean Inception ↩︎

  2. Fonte: Caroli.org ↩︎



ingridmachado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software.
Autora deste querido blog.

Mais posts