/ FACILITAÇÃO

Moral do time

Foto de Helen Cheng, via Unsplash

Na última edição da Trilha de Valor, falei sobre a moral do time na seção “Falando sobre agilidade”. Para a newsletter não ficar com um texto tão extenso, este post vai complementar com a parte prática a respeito de como faço a mensuração.

Medindo a moral do time

Por todas as razões citadas na newsletter, acredito que medir a moral do time é uma das melhores ferramentas para o desenvolvimento da equipe a longo prazo. Sendo assim, faço a mensuração a cada Sprint utilizando um formulário do Microsoft Forms com as seguintes perguntas em uma escala likert:

Formulário com escala likert

Esse formulário é aberto sempre na segunda semana da Sprint e deixo ele disponível para aceitar respostas por 3 dias. Sempre que abro o formulário, também envio uma notificação por email para o time com o link e o prazo de resposta.

Ao fechar o formulário, exporto o resultado para o Excel e organizo as respostas em um novo arquivo. Este novo arquivo também é um Excel, onde crio uma planilha para cada integrante do time, acompanhando os valores por Sprint. A imagem a seguir mostra de forma mais clara como é essa organização:

Resultados organizados por integrante no Excel

Formulário de moral do time respondido somente na Sprint 1

Ou seja, dentro do arquivo tenho uma planilha que contém uma tabela com as perguntas e as notas por Sprint, para cada participante. A partir dessa tabela individual, gero os gráficos que uso para analisar a moral do time.

Se você usar o formulário no mesmo formato do exemplo, nas Sprints seguintes vai precisar somente copiar cada uma das linhas do arquivo com as respostas consolidadas para cada uma das planilhas do Excel com as respostas do time.

Analisando a moral do time

Apesar da recomendação de mensurar a moral pela média das respostas, gosto de acompanhar os valores de forma individual. Para isso, gero um gráfico de linhas com marcadores a partir da tabela em cada planilha e filtro cada uma das afirmações para analisar os resultados.

Gráfico de exemplo para uma das perguntas desde a Sprint 1 até a Sprint 14

Resultado de um integrante do time durante as Sprints para a afirmação “Estou entusiasmado com o trabalho que faço pelo time”

Note que, na imagem anterior, o integrante do time iniciou respondendo com a nota máxima e teve uma queda brusca a partir da Sprint 5. É importante não analisar esse resultado isoladamente. Avalie se existiram situações que colaboraram para a baixa na avaliação e, caso não tenha uma relação para fazer, o melhor é perguntar o que aconteceu.

Situações que podem colaborar com um valor baixo:

  • O time não conseguiu entregar o objetivo da Sprint;
  • Sprint com muitos impedimentos;
  • Excesso de horas extras;
  • Qualquer outra situação que pode ter tumultuado o dia a dia do time ou a produtividade individual.

Para o exemplo, a Sprint atual é a 14. Observe que houve uma queda na Sprint 5, mas um trabalho foi feito para melhorar essa avaliação nas Sprints seguintes. Somente quem responde o formulário pode dizer o que está impactando a avaliação, mas você pode ajudar no plano de ação para melhoria e, dependendo do plano, você também pode garantir que ele aconteça, pelo menos em parte. Quando o que impactou a nota é um processo, até mesmo outros integrantes do time podem ajudar na resolução, por isso faço a sugestão de levar pontos levantados nas reuniões de acompanhamento para as retrospectivas, com o devido acordo.


Inicialmente, a maior parte do trabalho está em organizar como as informações serão colhidas. Depois é necessário somente continuar solicitando as respostas do time, organizando os resultados e fazendo as análises. Se você conseguir manter uma rotina de acompanhamento, garanto que verá melhorias no desempenho, tanto individual quanto coletivo.

Pense no acompanhamento da moral como um indicador de que estamos indo na direção correta, com o time altamente engajado e satisfeito com o andamento do trabalho. Além de ser importante para os integrantes do time, você como Scrum Master (ou qualquer papel de gestão ágil) pode se beneficiar, aumentando a sua própria moral ao conseguir fazer melhorias para ter resultados sempre positivos.

Até a próxima!



ingridmachado

Ingrid Machado

Engenheira de computação, especialista em engenharia de software.
Autora deste querido blog.

Mais posts